ENTER IN CONTACT FOR FURTHER INFORMATION ABOU OUR PRODUCT

January 20, 2018

Please reload

Recent Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Featured Posts

Projeto de Bioeconomia estudará aplicações para macroalgas marinhas

March 3, 2017

 

03/03/2017 - 10:21

 


O Instituto Fraunhofer para Engenharia de Processos e Embalagens (IVV) e o Centro de Projetos Fraunhofer para Inovação em Alimentos e Bioeconomia coordenam, em parceria com o Instituto de Botânica da USP,  projeto que estudará aplicações para macroalgas marinhas. O projeto denominado SeaFeed foi aprovado pelo programa alemão de Bioeconomia Internacional e terá duração de três anos.

Devido à sua extensa costa e sua diversidade de climas, o Brasil apresenta uma enorme biodiversidade de algas marinhas, sejam nativas ou exóticas. A presença de biomassa de algas tem sido notada em diversos estados. As macroalgas, também chamadas de plantas marinhas, possuem funções fundamentais no ambiente marinho, criando zonas de refúgio e reprodução a outros seres, melhorando a qualidade da água e até mesmo servindo de alimento. Em escala comercial costumam ser cultivadas por possuírem uma grande e rápida produção de biomassa e também por conterem substâncias como carragenana e ágar, muito aproveitadas no setor alimentício. A carragenana, por exemplo, atua como espessante, gelificante, agente de suspensão e estabilizante, tanto em sistemas aquosos quanto em sistemas lácteos.

No âmbito do projeto SeaFeed os pesquisadores irão concentrar suas atividades na produção e coleta sustentável legal de macroalgas marinhas para posterior fracionamento e aplicação de suas frações em alimentos e rações para animais. Para isso contarão com o apoio doInstituto de Botânica da USP, do Instituto Botânico de São Paulo, do Instituto de Pesca, da UNESP/FMVZ e da Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro. Também participam do projeto empresas brasileiras produtoras de algas como a Companhia das Algas no Ceará e a D’Alga Aquicultura Urbana, além das alemãs Coperion, OceanBasis, Scheid AG, Deutsche Tiernahrung Cremer e  Van Hees.

No projeto teuto-brasileiro serão estudadas algas marinhas pré-selecionadas produzidas em cultivos marinhos e em sistemas multitróficos associados com criação de peixes e ostras. Adicionalmente serão testadas algas arribadas e coletadas em bancos devidamente autorizados através de manejos sustentáveis.

Na Alemanha, em outro projeto, o Instituto Fraunhofer IVV já realiza uma pesquisa, com parceiros da União Européia para a utilização de algas como um possível substituto do sal.

Por: Fraunhofer Liaison Office Brazil

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Follow Us

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Search By Tags
Please reload

Archive
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square